Pular para o conteúdo principal

DA FOTOGRAFIA ANALÓGICA AO VINIL, COM AUANA ZUBEK, MARIA MION E IGUAZZU RECORDS



          Duas das artistas participantes da exposição Curitiba, quem é essa? optaram pela fotografia analógica. Aquela mesmo, do método “antiguinho’, para muitos extinto, engolido pela tecnologia da fotografia digital.
 


           Os registros analógicos resgatam outra sensação ao fotografar. Eles exigem maior concentração antes de cada clique, uma vez que não se conta com a memória “infinita” de um moderno cartãozinho. Cada registro é antecedido por uma respiração profunda, para que nada trema, para que o dedo desça rápido e forte antes que se perca a cena a ser retratada.

          Foi vivenciando essa experiência que a aspirante a fotógrafa, Auana Zubek, que já participou do I Salão de Arte Contemporânea e Novas Tecnologias, de Ponta Grossa, produziu a série Quintal e encantou a todos com seus delicados registros. A jovem desenvolveu a série buscando mostrar “a cidade que proporciona, no meio do caos urbano, o charme das flores que muitas vezes passam despercebidas na correria do dia-a-dia, as flores plantadas pelos moradores da cidade.”

 
Auana Zubek e sua obra
 
          A outra artista que usou a fotografia analógica foi Maria Mion, mais uma jovem talentosa que embarcou em nosso projeto. As peças da fotógrafa que estão presentes na exposição fazem parte de um projeto maior chamado “Ensaios para futuras locações”.


Maria Mion e uma de suas obras
 
          Desse projeto, Mion extraiu dois registros únicos, que chamam a atenção de todos que comparecem à Galeria, não apenas pelas dimensões do suporte escolhido pela artista, mas especialmente, pela criatividade das imagens. Segundo Mion, ela tenta olhar os lugares do seu cotidiano de uma nova forma a cada dia, exercitando um “olhar estrangeiro” em sua própria cidade.

          No embalo da fotografia analógica, a noite do lançamento da exposição contou com uma sonorização toda feita a partir de vinis, respeitando o ritual descrito pelo responsável pela música, Bira.

          Um disco é escolhido. Retirado da sua capa ele é colocado no prato do toca discos e sobre ele se posiciona o braço que termina em uma pequena agulha. Ela gentilmente toca o primeiro sulco gravado naquele disco negro... que gira. O primeiro estalo seco e o som começa a surgir pelas duas caixas acústica, de repente, todo ambiente é ocupado pela música.”


Bira e uma outra apaixonada por vinil
 
          Bira é sócio proprietário da Iguazzu Records, uma loja especializada e dedicada exclusivamente à cultura do vinil.  Com um acervo amplo e selecionado de LP’s, EP’s, compactos de 7" e picture discs, a Iguazzu foi recém-inaugurada na Alameda Augusto Stelfeld, 128. Como sempre, mais um parceiro que fica pertinho da gente. Porque nessa nossa Curitiba, muitas vezes fria, calor humano é fundamental!


 

SERVIÇO:

Galeria Teix
(41) 3018-2732 | 3019-2294
Av. Vicente Machado,666 - Batel Soho
estudioteix@gmail.com