Pular para o conteúdo principal

A TATUAGEM SEMPRE CONTA UMA HISTORIA !



É bem verdade que tatuagem vicia. Fiz a primeira com 16 anos, a segunda com 19 e a terceira hoje. Uma ideia de desenho que eu já tinha há meses, faltava apenas encontrar um bom tatuador. Uma amiga do trabalho indicou o talentosíssimo Marco Teixeira, do Estúdio Teix, e fui.
Gostei de como o resultado final foi decidido na hora, e fiquei feliz que eu tive coragem de trust my gut na hora certa. Costumo ter pavor de decisões em cima da hora.
Na semana passada, levei o desenho que queria, nas cores que queria, e o Marco sugeriu alterar um pouco o estilo para parecer um sketch. Hoje quando cheguei ele já estava com o desenho pronto, e só decidimos rapidamente as cores.
Na hora da agulha, ele passou o adesivo no meu ombro e foi preparar o equipamento. Enquanto isso eu fiquei olhando pra prévia achando que tinha algo errado, não quis arriscar um arrependimento vitalício e pedi pra limpar e mudar a posição da andorinha. Limpa o desenho, passa o adesivo de novo. Ainda não estava bom. Limpa o desenho, passa o adesivo pela terceira vez. Agora sim!
Depois de pouco mais de uma hora de zumbido do motor da máquina, estava pronto o contorno. Fizemos uma pausa antes de aplicar a cor, e isso me deu tempo de olhar pra ela só com o contorno. E achar linda, linda, linda, fina, elegante. Cheguei a voltar pra “mesa de operação” pra começar a colorir, só pra levantar segundos depois e finalmente desistir da cor. Não sem antes sair da sala e pedir a opinião de todos que estavam na sala de espera heh.
Texto publicado no blog http://pictolirica.mtma.com.br por Maria Tereza