Pular para o conteúdo principal

Curitiba recebe "legião estrangeira" da tatuagem para o Visiva 2017

Na próxima semana Curitiba receberá parte da “nata” da tatuagem mundial.



O Visiva, evento organizado pelo Estúdio e Galeria Teix e que terá sua segunda edição nos dias 13 a 15 de outubro, terá as presenças de grandes feras estrangeiras do universo tattoo, como os argentinos Kizun,  a ucraniana Rit Kit, o mexicano Stan Leeray e o israelense Artem Korobov. Além da nova-iorquina Morgan English, uma das uma das principais críticas de arte e tatuagem do mundo e fundadora e editora da renomada galeria digital tattrx.com.

A Teix foi um dos primeiros estúdios de Curitiba a apostar em tatuagem autoral, e é também pioneiro na atração de profissionais de outros países para temporadas na cidade, dentro de seu programa de guests.  Além disso, conta com uma ucraniana em seu corpo de tatuadores residentes, Yanina Viland. “Mas o Visiva permite um momento de inigualável troca de experiências, pois além de trazer estilos, culturas e experiências de outros países também há uma série de brasileiros de vários estados participando.
É uma oportunidade única de se debater tatuagem como uma forma de arte contemporânea universal, como uma obra de arte sobre a pele, e também o futuro da profissão”, explica Jo Maciel, sócia da Teix e uma das mentoras do evento.

Saiba mais sobre os gringos que estarão no Visiva 2017: 

[ 16 mil seguidores no instagram ]



O Kizun é um coletivo de arte formado por dois artistas argentinos, Valeria e Pablo. Eles trabalham juntos fazendo arte sobre diferentes suportes – a pele é o principal deles –, resultando em obras minimalistas, abstratas, geométricas e surreais.


A dupla trabalha com interpretação livre e se baseia nas referências estéticas que a o cliente fornece para elaborar os desenhos. Pesquisam imagens, fotografias, textos, tudo serve como fonte. Depois disso, cada um coloca sua técnica na execução para chegar a um bom resultado final – pois acreditam que a tatuagem é uma das maiores formas de expressão.



Em entrevista ao site Follow The Collors, Valeria e Pablo falaram sobre o uso de cores, uma de suas marcas: “As cores certamente determinam a composição de uma tatuagem nossa. Elas transmitem ideias, conceitos, além de harmonia e equilíbrio. Os tons são cuidadosamente escolhidos para cada trabalho e sempre têm ver com a ideia principal que devemos passar”.
Além de tatuar no evento, caberá à dupla Kizun a autoria da exposição de arte que será inaugurada no dia 13, junto com a abertura do Visiva 2017.



Stan Leeray (México) - https://www.instagram.com/s.leeray
[ 22 mil seguidores no instagram ]



Vindo diretamente da Cidade do México, Stan Leeray cria tattoos incríveis utilizando linhas fluidas e precisas que "conversam" com seus desenhos modernos e cheios de criatividade, usando um traço pouco convencional.



O próprio artista não é um profissional  convencional: usa sempre uma máscara para tatuar, com o intuito de se isolar e se concentrar com mais facilidade: "Eu gosto de usar pois me isolo de mim, depois de colocá-la já não tenho nenhum desejo de falar, é mais fácil de me concentrar[...] Eu tenho várias, de todos os estilos", disse, em entrevista ao site colombiano Shock.



Stan conta como começou e fala sobre seu estilo como tatuador: "Eu comecei a fazer um estilo inspirado na tatuadora portuguesa Nouvelle Rita quando um amigo me pediu um projeto similar. Eu gostava dela e comecei a estudá-la. No início, demorei seis horas entre esboços e tatuagem. Hoje, vejo meus traços como não-simétricos, são as linhas que dão o volume para as coisas. Cada tatuagem é criada única e exclusivamente para cada pessoa".





[ 554 mil seguidores no instagram ]


As tatuagens com inspiração botânica deram à ucraniana Rita Zolotukhina, a ‘Rit Kit’, status de celebridade internacional – tanto que já ultrapassou a impressionante marca de meio milhão de seguidores no instagram. Sua técnica é bem diferente das que costumamos ver, pois ao invés do estêncil utiliza carbono e plantas vivas, pressionando-as contra a pele, para criar os desenhos e marcar seus defeitos e ranhuras.



À revista Illusion Magazine, ela conta que criou as tatuagens botânicas para ficar mais conectada com a natureza. "Sou uma amante da natureza, então a maioria dos meus desenhos tem relação direta com a flora. Quando comecei, quanto mais eu desenhava, mais eu queria fazer algo que fosse 'fresco' e 'nativo', sentir as plantas sem nada para atrapalhar", disse.



Originária de Kiev, ela auto-intitulou sua técnica de “live leaf tattoo”. “Eu nunca vi nada parecido com isso. Porém, antes de ter essa ideia, eu treinei muitos traços botânicos. Hoje consigo ver, por exemplo, no desenho de um trevo, que é algo bem popular, marcas da folha e detalhes que eu nunca tinha visto. Acho que é realmente uma abordagem única”.



[ 11 mil seguidores no instagram ]                                             


Artem Korobov é um tatuador russo-israelense que vive em Tel Aviv (Israel), e conta com um com um estilo muito próprio: sua arte utiliza a sobreposição de vários elementos como em uma colagem digital.


Abstratos, cores, recortes, escritas e negativos são alguns dos elementos utilizados por ele em suas incríveis obras. Algumas são completamente abstratas, mas em sua maioria apresentam um elemento central marcante dentro de uma composição inusual.


Além de participar do Visiva, ele ficará residente na Teix para uma temporada até o dia 20 de Outubro, ainda há horários disponíveis!




Morgan English (EUA) - https://www.instagram.com/tattrx/
[ 374 mil seguidores no instagram ]



Dos Estados Unidos virá uma das principais curadoras de arte contemporânea da tatuagem do mundo, a nova-iorquina Morgan English. Ela é fundadora e editora da renomada e mundialmente famosa galeria digital tattrx.com e trabalha também como crítica de tatuagem independente e agente para novos artistas. No dia 14 ela fará uma palestra sobre o tattrx, seguida de bate-papo com o público.



Morgan é adepta da teoria de que todo tipo de arte que pode ser aplicada em uma tela também pode ser adaptada para a pele humana. Além de incentivar a tatuagem como arte, ela também é uma ativista: o tattrx busca não apenas impulsionar o alto nível do debate sobre a arte contemporânea e os movimentos culturais, mas também apoiar os direitos civis e humanos. “Não apoiamos tatuadores abertamente racistas, sexistas, homofóbicos ou transfóbicos”, deixa bem claro a criadora do site. “Tattrx é diverso. Promovemos tatuadores de todas as origens, nacionalidades e níveis de experiência. Nós incluímos corpos de todos os tamanhos, idade, etnia e gênero. Construir um arquivo sem diversidade seria celebrar apenas a estética do poder. Tattrx opta por uma amostragem mais abrangente de toda a comunidade moderna”, completa.


Yanina Viland (residente - https://www.instagram.com/yaninaviland/ )
[ 45 mil seguidores no instagram ]


A ucraniana Yanina Viland chegou a Curitiba para se estabelecer definitivamente há um ano, quando escolheu a cidade para trabalhar e entrou para o time de residentes do Estúdio Teix. Nasceu em Donetsk em 1989, quando o país ainda fazia parte da antiga União Soviética.



 Começou a tatuar em 2008, aos 18 anos, e se mudou para a Rússia, onde viveu por seis anos, manteve um estúdio próprio e deu visibilidade internacional a seu trabalho autoral, que rompeu as fronteiras do Leste Europeu.

Aos 27 anos, ela tomou a decisão de vir morar no Brasil. Acostumada com a frieza das pessoas em St. Petersburg, a receptividade dos brasileiros a cativou. “Estive no Brasil pela primeira vez há alguns anos e gostei das pessoas, da atmosfera. Os últimos seis anos que morei na Rússia convivi com pessoas muito distantes, fechadas, eu não gostava daquilo. Na segunda vez que vim, visitei vários locais procurando um lugar para mim, um lugar onde eu fosse querer morar. Tentei São Paulo, Rio, Belo Horizonte, mas foi em Curitiba que me encontrei, foi daqui que gostei. Quando cheguei aqui entendi que aqui era o meu lugar”, conta.



O EVENTO



A segunda edição do Visiva terá o lema “Arte que Transforma” e será realizada de 13 a 15 de outubro, quando artistas, tatuadores e pesquisadores de várias mídias e de diversas partes do mundo vão pensar, fomentar e produzir tatuagem e arte contemporânea. Haverá exposições de arte, tatuagem, oficinas, shows e diversas outras atividades, como workshop para tatuadores iniciantes, palestras, debates e bate-papos. “Todo esse conjunto deve dialogar com o tema principal do Visiva: a arte geradora não apenas de transformações sociais, mas também de profundas mudanças no corpo e na alma dos que se dispõem a viver essa experiência”, conta a organizadora Jô Maciel.

Curiosamente, na festa de abertura, dia 13, a animação ficará por conta da banda Gringo´s Washboard. Nada mais apropriado para um evento que reúne tantos estrangeiros!
A programação completa está no site http://visiva.teix.ink.
 __________________
SERVIÇO
VISIVA 2017
13 a 15 de outubro
Estúdio e Galeria Teix (Rua Augusto Stellfeld, 1581 – Batel Soho – Curitiba)

Informações: (41) 3018-2732 | 3019-2294 | estudioteix@gmail.com