Pular para o conteúdo principal

O CAMPO NA OBRA DE ALEXANDRE LINHARES


Roupas conceituais sobre a história do homem no campo estão na Galeria Teix

São vestidos, paletós (sobre um estrado de molas de uma cama antiga), camisas e um pano negro que simbolizam o plantio, a colheita, a vida em família e as dificuldades de um agricultor. O estilista/artista plástico Alexandre Linhares levou para a Galeria Teix roupas conceituais que contam esta história.
A exposição ‘quanto um chapéu de palha’, acontece até o dia 30 de setembro, e reúne 11 obras inéditas em tecido, bordadas e pintadas à mão. “Elas compõem poesia visual referenciada na forma mais pura de ser e na forma mais simples de contemplar. Sujeita ao acaso, a deteriorar-se, ao esquecimento”, diz Linhares. A trilha sonora da exposição foi composta por Beto Kloster e a curadoria das obras é de Giovana Simão.
A exposição “quanto um chapéus de palha” faz parte do projeto "quadrilátero do milho" que tem quatro tempos: "introdução - semeando", lançado no Piola,  performance de Alexandre Linhares e Thifany, no Deforma, e a conclusão será com um desfile.
Com esta exposição, a Galeria Teix participa pela primeira vez da mostra paralela da 6ª Bienal de Curitiba. Até o fim do ano, outras duas exposições da Galeria Teix estarão na Bienal.

Exposição

quanto um chapéu de palha

até 30 de setembro

Galeria Teix
Av. Vicente Machado, 666 – Batel
Curitiba - PR
(41) 3018-2732
Horário de segunda sexta, das 10h às 19h; sábados das 10h às 17 horas

a jornalista Adélia Lopes (vestindo criação de Alexandre Linhares) e o artista

 Alexandre Linhares e Jô Maciel, da GaleriaTeix

 Alexandre Linhares, Paulo Peruso e Olivia

a curadora da exposição Giovana Simão e Alexandre Linhares

as galeristas Jô Maciel e Zilda Fraletti com Alexandre Linhares

 a produtora Jô Marçal e Alexandre Linhares

os casais Marco Teixeira e Jô Maciel, e Thifanty e Alexandre Linhares

 Thifany e Alexandre Linhares


Fotos por Cintya Hein